top of page
  • Foto do escritorAna Bizzotto

Depressão em idosos: conheça as causas e saiba como ajudar

A depressão é uma condição de saúde mental que não faz distinção de idade, mas quando se trata de idosos, muitas vezes passa despercebida ou é erroneamente atribuída ao envelhecimento. No entanto, a depressão em idosos é uma realidade séria e prevalente, que merece atenção e compreensão.


No Brasil, os idosos lideram o ranking dos mais afetados pela depressão.

Segundo a última Pesquisa Nacional de Saúde, realizada em 2019 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a doença atinge cerca de 13% da população entre os 60 e 64 anos de idade. Ao redor do mundo, o transtorno afeta, em média, 264 milhões de pessoas de todas as idades.


Neste 1º de outubro, data em que é celebrado o Dia Internacional das Pessoas Idosas e Dia Nacional do Idoso, cabe uma reflexão importante sobre este tema: quais são os principais desafios enfrentados pelos idosos que lidam com a depressão? E como podemos ajudá-los a encontrar o apoio necessário?


Depressão em idosos: um problema subestimado

Embora o envelhecimento seja natural e uma parte inerente da vida, ele pode trazer consigo uma série de desafios físicos, emocionais e sociais. Muitos idosos enfrentam perdas significativas, como a morte de entes queridos, aposentadoria, problemas de saúde crônicos e isolamento social. Esses fatores podem contribuir para o desenvolvimento da depressão, que muitas vezes passa despercebida.


Sinais e sintomas A depressão em idosos pode se manifestar de maneira diferente do que em pessoas mais jovens. Alguns sinais e sintomas comuns incluem:

  • Tristeza persistente: sentimento de tristeza profunda e prolongada.

  • Perda de interesse em atividades que antes eram prazerosas.

  • Isolamento social: retirada do convívio social e perda de conexões com amigos e familiares.

  • Alterações no sono: insônia ou aumento do sono.

  • Alterações no apetite: perda ou ganho de peso inexplicável.

  • Falta de energia: sensação constante de fadiga e exaustão.

  • Pensamentos suicidas: ideias de morte ou desejo de morrer.


Como ajudar?


1. Comunique-se com empatia: escute atentamente os idosos e mostre compreensão pelos seus sentimentos. Muitas vezes, eles se sentem isolados e invisíveis.


2. Incentive a busca por ajuda profissional: encoraje-os a conversar com um psiquiatra ou um psicólogo. A terapia e, em alguns casos, a medicação podem ser eficazes no tratamento da depressão.


3. Promova atividades sociais: ajude os idosos a se envolverem em atividades que os interessem e os conectem com outras pessoas. O isolamento social é um fator de risco para a depressão.


4. Estimule um estilo de vida saudável: uma dieta equilibrada e a prática de exercícios podem ter um impacto positivo na saúde mental.


5. Esteja presente: mantenha contato regularmente e demonstre que você se importa. Um simples telefonema ou visita pode fazer uma grande diferença.


A depressão em idosos é uma questão séria que não deve ser ignorada. É importante que todos estejamos atentos aos sinais e sintomas e que ofereçamos apoio e compreensão.

Com empatia, cuidado e recursos adequados, podemos ajudar os idosos a superar a depressão e desfrutar de uma qualidade de vida melhor. Se você conhece alguma pessoa idosa que está enfrentando a depressão, lembre-se de que seu apoio pode fazer toda a diferença.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários

Avaliado com 0 de 5 estrelas.
Ainda sem avaliações

Adicione uma avaliação
bottom of page